A PROSTITUTA DIZ: VEM!

PROVÉRBIOS 7 

imagesA prostituta simboliza o diabo, e seus prestadores de serviços, que sai para enganar aqueles que, com um bom argumento, saem fora de si. Pessoas sem juízo, mas com sensações que afloram com um pouco de criatividade.

Há tantos indivíduos cujo poder da Palavra não opera no seu núcleo cognitivo, mas vagueia nos recônditos das suas emoções e sentimentos. Indivíduos que eu chama de “almáticos”, servem a Deus pelo que sentem – vejam que são incrivelmente emotivos – não servem a Deus pelo que creem.

Portanto, nessa mensagem veremos a brilhante estratégia da “prostituta” para ludibriar a boa fé do insensato, como o diabo se apresenta de um modo incrivelmente aceitável e desejável, e qual deve ser o nosso papel nesse contexto:

V. 1 – “Filho meu, guarda as minhas palavras e conserva dentro de ti os meus mandamentos.”:

Um dos grandes segredos para vencer na vida é guardar as Palavras de Deus, através um íntimo relacionamento com Ele;

O Senhor nos chama de Filhos, isto significa que nos dará todas as provisões, mas que também precisamos agir, fazer a nossa parte;

Guardar a Palavra é APRENDER a Palavra. É assimilar. Quando guardamos a Palavra de Deus, podemos usá-la quando necessário;

Jesus venceu Satanás no deserto pelo poder da Palavra, porque Ele era a Palavra. Se não guardarmos a Palavra não poderemos vencer o diabo. Não se vence o diabo com oração, mas com  RESISTÊNCIA e autoridade;

Expulsamos os demônios porque a Palavra manda, aquele tem autoridade, fazê-lo em nome de Jesus Cristo.

V. 2 – “Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos”:

Guardar a Palavra significa praticar. Quem pratica vive, quem não pratica morre. A Palavra é alimento que dá vida, por isso não podemos viver sem nos alimentarmos da Palavra.

V. 3 – “Ata-os aos dedos, escreve-os na tábua do teu curacao”:

Dedos significam trabalho, fazer coisas, executar; Para executarmos a Lei de Deus, precisamos tê-la gravada no coração. Há pessoas que adotam uma religiosidade mas não amam a Deus. Devemos amar o Senhor acima de todas as coisas, desfrutar de íntima comunhão com Ele. Não devemos querer só saber quem é Deus, ou desfrutar das bênçãos de Deus. Devemos querer a presença de Deus. O povo queria terra, conquista, casa, dinheiro, mas Moisés queria a presença de Deus.

V. 4, 5 – “Dize à Sabedoria: Tu és minha irmã; e ao Entendimento chama teu parente, para te guardarem da mulher alheia, da estranha que lisonjeia com palavras”:

Quando agimos com prudência e sabedoria, somos guardados da “mulher alheia”, ou seja, do diabo;

A ausência de sabedoria faz o indivíduo falar e se comportar de forma inconveniente, atraindo sobre si as ações do maligno;

Se não soubermos selecionar as palavras, seremos engodados pela mulher estranha;

Se não começarmos a selecionar os nossos pensamentos  seremos envolvidos, suscetíveis a argumentos mentirosos e de sedução.

V. 6 – 8 – “Porque da janela da minha casa, por minhas grades, olhando eu vi entre os simples, descobri entre os jovens um que era carecente de juízo, que ia e vinha pela rua junto à esquina da mulher estranha e seguia o caminho da sua casa”:

O diabo anseia encontrar alguém que não tem juízo;

Ele espreita pelas grades, pelas brechas que deixamos, entre as muralhas da proteção de Deus;

O diabo está nos vendo, Deus nos guarda, mas impede que ele nos veja;

O jovem imaturo representa aquele que não aprende, que não assimila, que não guarda a Palavra de Deus;

São os anões espirituais, aqueles que não crescem;

Na espreita o diabo identifica aquele que não tem juízo.

V. 9 – “À tarde do dia, no crepúsculo, na escuridão da noite, nas trevas”: 

A hora da tarde é a hora do descuido, da madorna, onde os planos podem ser elaborados;

O momento do descuido, do relaxamento, é oportuno pra ação do adversário;

No cair da noite, na escuridão onde a sensação de não ser visto libera as ações mais sórdidas.

V. 10 – “Eis que a mulher lhe sai ao encontro, com vestes de prostituta e astuta de coração”:

Quando se abre a janela da alma para coisas que não agradam a Deus, é o momento em que a “prostituta” – o diabo – sai ao encontro. Na hora certa ele vem;

A grade de proteção foi rompida, pois quando deixamos de fazer a vontade de Deus, o caminho fica aberto para o diabo;

A “prostituta” sai para o encontro com enfeites, preparada para prostituir e perverter o coração, a santidade e a fidelidade a Deus.

V. 11, 12 – “É apaixonada e inquieta, cujos pés não param em casa, ora está nas ruas, ora, nas praças, espreitando por todos os cantos”: 

O diabo anda o tempo inteiro, rodeia a terra;

Não para, não cessa, não descansa.

Espreita, vasculha, espiona em todos os cantos.

V. 13 – “Aproximou-se dele, e o beijou, e de cara impudente lhe diz”:

Primeiro a “prostituta” se aproxima. Não deixe que se aproxime de você, porque você será beijado, receberá um selo da prostituição;

A nossa marca não deve ser o beijo do diabo, e a marca de Cristo;

Após o beijo vem a conversa sedutora, o aliciamento;

A voz mansa e o sussurro envolvente faz pensar tratar-se de Deus.

V. 14, 15 – “Sacrifícios pacíficos tinha eu de oferecer; paguei hoje os meus votos, Por isso, saí ao teu encontro, a buscar-te, e te achei”:

A paz ardilosa que poucos conhecem, o preço para tirar a vida de quem a obteve em Cristo, a busca e o encontro da morte para vencer a vida;

Para quem está em Cristo, o dia de um encontro com o diabo, deveria ser para vencê-lo e não para perder o que se ganhou de Cristo;

V. 16, 17 – “Já cobri de colchas a minha cama, de linho fino do Egito, de várias cores, já perfumei o meu leito com mirra, aloés e cinamomo”:

A cilada é astuta. Coisas finas;

A princípio o pecado é cheiroso, chique e delicioso;

O odor da podridão só é sentido depois de se afundar na lama.

V. 18 – “Vem, embriaguemo-nos com as delícias do amor, até pela manhã; gozemos amores”:

Quem se embriaga perde o controle de si mesmo;

A embriaguem mergulha o individuo no torpor da fantasia;

Os orgasmos proporcionados pela prostituta se apresentam como delícias colocadas como degustação à porta do inferno.

V. 19, 20 – “Porque o meu marido não está em casa, saiu de viagem para longe, e levou consigo um saquitel de dinheiro; só por volta da lua cheia ele tornará para casa”:

A ausência do marido e a certeza que de estará fora por um longo período, fomenta a demanda do espírito da prostituição;

A ausência de um líder é a garantia da presença dos devaneios;

A ausência de uma parceria que refreia os instintos humanos, e refreia as ações comportamentais, é a certeza da prática de descalabros;

A falta da presença do Espírito Santo é a porta aberta para o espírito da promiscuidade;

Quando o “marido”, autoridade, não está em casa, os “ratos” invadem o recinto para celebrarem o vandalismo da carne;

Casa bem ornada e vazia é um convite para demônios.

V. 21 – “Seduziu-o com as suas muitas palavras, com as lisonjas dos seus lábios o arrastou”:

Quando a prostituta se ornamenta como “anjo de luz”, o falto de juízo é facilmente enganado;

As palavras sedutoras tem o poder de derrubar o maior de todos os valentes;

Muito gente boa cai, não pelas pernas, mas pelas orelhas;

O sussurro sedutor no pé do ouvido, na maioria das vezes é confundido com a voz mansa do Espírito Santo.

V. 22, 23 – “E ele num instante a segue, como o boi que vai ao matadouro; como o cervo que corre para a rede até que a flecha lhe atravesse o coração; como a ave que se apressa para o laço, sem saber que isto lhe custará a vida”:

Toda sedução, o que os olhos veem, aquilo que os ouvidos ouvem, os aromas que inebriam o olfato, são iscas vivas e eficientes para derrubar o sem juízo;

É o tolo sendo levado, sob o efeito do espírito de encantamento, para matadouro;

A ave presa no visgo. O valente amarrado ao tronco. O gigante desmaiado. O líder com a cara no chão.

As consequências o levarão a perder a vida.

V. 24 – 27 – “Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e sê atento às palavras da minha boca não se desvie o teu coração para os caminhos dela, e não andes perdido nas suas veredas porque a muitos feriu e derribou; e são muitos os que por ela foram mortos. A sua casa é caminho para a sepultura e desce para as câmaras da morte”:

Os conselhos de Deus são para nos desviar do caminho da morte;

As mostras de Deus são dadas para nos revelar o perigoso jogo do espírito do encantamento;

O dedo de Deus aponta para as tramas de quem a muitos feriu e derribou;

A misericórdia de Deus denuncia quem pode nos matar;

Os fatos revelam que um pouco de prazer pode proporcionar uma imensidão de sofrimento, agonia e morte;

Não entre no caminho da prostituta porque há morte, mas o caminho de Cristo traz vida, através do Espírito Santo.

Anúncios

One thought on “A PROSTITUTA DIZ: VEM!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s