CRENTE NÃO BEBE, NÃO FUMA, MAS…

Como alguém pode pregar contra a maconha, cocaína, bebidas alcoólicas, cigarros e tantas outras coisas, se é viciado em comida?

 FoodCraving2

É com muito respeito a todos que escrevi esse artigo. Trata-se de um tema que, para muitos, é melindroso e polêmico, mas, nem por isso, podemos fingir que ele não necessita ser abordado. Espero maturidade e um espírito nobre de quem o ler, pois mais do que uma crítica, é um alerta – de quem tem experiência de vida – sobre os perigos da obesidade.

Sinceramente, eu não posso levar fé naquilo que uma pessoa está dizendo, se eu vejo que a sua estrutura física é de quem maltrata o próprio corpo, peca (porque é derrotado pelo pecado da gula) e é negligente em cuidar do patrimônio que lhe foi confiado, já que deve prestar contas ao seu legítimo proprietário. Pesado isso, não é?

O estado do corpo é o retrato da importância que damos a ele.

A obesidade é uma doença que deve ser tratada, podendo ter origens patológicas e esses casos eu EXCLUO dos meus comentários. Mas a maioria que está acima do peso é devido ao descontrole alimentar e ao sedentarismo.

Devemos comer bem, ou seja, com qualidade, para podermos viver, e muito, e não viver para comer muito.

Vou seguir meu raciocínio por uma via um tanto quanto arriscada, porque sei que falar algumas verdades irrita algumas pessoas, principalmente líderes. Como não tenho o menor problema em tratar com verdades, lidar com a suscetibilidade de indivíduos e com a negligência de alguns que estão fora de forma e do contexto bíblico, aqui vou eu, tratar de cima para baixo.

Vejo pregadores condenando veementemente o uso de drogas pelos malefícios que causam ao corpo, à família e à sociedade, além de afirmarem – o que a gente sabe – que o corpo é templo do Espírito Santo, o lugar onde Ele habita, o Seu lar, a Sua casa.

Em que condição está a casa onde mora o Espírito Santo?

O que vemos no espelho é aquilo que oferecemos ao Senhor como habitação. E as condições físicas dessa casa é exatamente a forma como cuidamos dela.

É vergonhoso ver que a boca de muitos homens e mulheres não se converteu, não se santificou. E a “pança” gigantesca é a hospedaria de toda sorte de comida, resultante da única atividade física que praticam: “levantamento de garfo”.

Esse pessoal não come, se empanturra!

O estado do corpo contrasta com o da alma e do espírito, e tem gente que leva isso como piada. É vexatório o estado físico de uma grande maioria de líderes evangélicos, pois estão obesos, e alguns, a obesidade já é mórbida. Pessoas que adoeceram porque sucumbiram ao pecado da gula. Sim, estão doentes e precisam de um médico, necessitam de um tratamento, mesmo achando que estão se sentindo bem e que os resultados dos exames de sangue são normais.

Não se mensura o risco à saúde apenas pelo exame de sangue, pergunte isso ao seu médico, se é que tem um.

A gula não é apenas não ter o domínio próprio sobre a fome, mas é comer aquilo que, sabidamente, faz mal à sua saúde, mesmo a longo prazo.

Os malefícios de alguns alimentos são imperceptíveis a curto prazo, esse é o maior perigo. Mais cedo ou tarde o corpo vai cobrar a dívida, vai mandar a conta e, quando a cobrança chega, o desastre é quase inevitável. São os abusos sistemáticos que deterioram gradativamente a casa onde o Espírito Santo habita e a torna imprestável.

O risco à saúde sofrido pelos líderes já é eminente, o próprio desgaste emocional e psicológico é um tremendo agravante – somado às noites mal dormidas – e à alimentação desregrada. É pedir pra morrer!

Orar para Deus consertar aquilo que nós destruímos é ridículo!

O nosso corpo é o “jardim de Cristo” e nos foi dada a responsabilidade de cuidar e zelar por ele. O descumprimento dessa obrigação gera uma dívida que será cobrada e terá que ser paga.

É terrível a situação de quem faz da comida um caminho para a morte e não para o prazer e vida.

Não estou tratando aqui da estética e nem dos padrões absurdos de beleza. Não, de forma alguma! Eu estou tratando com a inconsequência de privilegiar a boca esfomeada em detrimento aos danos que a falta de educação alimentar e a gula podem causar.

Na contramão do bom senso e da doutrina bíblica quanto ao zelo do corpo, as pessoas comem tudo o que veem pela frente: esfomeadas e compulsivas. Elas se deleitam com o excesso que prejudica o corpo.

No entanto, exorbitam na preocupação com roupas de grife, relógios de marca, ternos exuberantes, gravatas importadas, camisas de alto custo, prendedores e anéis de ouro, sapatos de couro de animais exóticos, vestidos luxuosos, sapatos e bolsas sofisticadas…

Não sou contra nada disso, também gosto de excelência. Mas tudo isso para adornar um corpo estupidamente relaxado? Isso é incoerente!

Você já observou o “pratinho” dos crentes? Já viu o que fazem quando visitam o bufê de sobremesas?

Você pode achar que é exagero o que estou dizendo, mas vamos à Palavra de Deus, de onde eu quero expor:

 

CINCO LEIS QUE DISCIPLINAM O CORPO

 

PRIMEIRA LEI: Lei da conservação

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5:23).

A santificação é em tudo: corpo, alma e espírito. Que santificação besta é essa que só trata do espírito?

Tem muito crente precisando santificar o estômago.

Essa lei precisa ser obedecida para que o corpo, assim como a alma e o espírito, não sofra nenhum dano e assim, estejamos sujeitos à repreensão, causando prejuízos ao desempenho das atividades por questões de estrutura física.

A conservação do corpo é uma forma de prolongar e dar qualidade à vida. Ninguém pode ter vida abundante com problemas de saúde. E, infelizmente, a maioria desses problemas é oriunda da má educação alimentar e do sedentarismo. Você pode até achar que está bem, porém quem está abalizado para dizer isso são os médicos, com suas variadas especializações.

Grande é a quantidade de gente que angaria enfermidades porque ainda não converteu a boca, e isso é uma lástima.

A obesidade advém do pecado da gula. A gula é um pecado como outro qualquer. A gula é um vício. O corpo viciado pela cocaína implora pela droga, assim como o corpo viciado em comida, pede comida.

Aí vai uma frase forte: um pregador obeso que prega libertação, deveria se libertar primeiro.

Cristãos fora da forma recomendada pela medicina pecam contra o corpo, pecam por saberem fazer o bem e não o fazem. Pecam contra o Espírito Santo e sua habitação.

 

SEGUNDA LEI: Lei do inquilinato

“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Co 6:19).

Todo inquilino sabe que é regido por um contrato, com cláusulas de direitos e deveres. Esse documento exige ao inquilino prestar contas ao proprietário do imóvel, facultando a ele uma vistoria periódica para averiguação das condições de manutenção e conservação. Caso ocorra qualquer dano, implicará em reparação e ressarcimento, podendo até haver rompimento do contrato e até demandas judiciais, que visam assegurar a cada um aquilo que lhe é de direito.

Ora, não somos donos do nosso corpo e, portanto, não podemos fazer com ele o que a gente bem entende. Esse texto é bem claro: “não sois de vós mesmos”.

A obesidade que resulta do pecado da gula danifica o patrimônio de Deus. É o dano causado pelas ações inconsequentes que ignoram a conservação do corpo. A resistência em procurar um médico e seguir as suas orientações, é um claro descompromisso com a manutenção do “imóvel” do Senhor.

É fácil deduzir que o proprietário não deve estar nada satisfeito.

 

TERCEIRA LEI: Lei da obediência

Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.(Gn 3:2,3).

Eva tinha absoluto conhecimento daquilo que não devia comer e que, se comesse, teria trágicas consequências, inclusive a morte.

Foi para evitar a morte que Deus preveniu o casal do Éden. Deus preparou um cardápio completo daquilo que deviam e que não deviam comer. A obediência começava pelo domínio próprio, pelo autocontrole e por vencer a tentação. O cardápio era uma forma de autodisciplina.

Você tem um cardápio?

Qualquer que tenha dificuldades em obedecer está fadado a morrer.

É por isso que pessoas brilhantes estão no caminho de uma vida sofrida, sujeitos a doenças e até a uma vida curta. São desobedientes a leis invioláveis e, ao burlarem isso, trazem sobre si a pior de todas as maldições: a morte.

A desobediência traz sofrimento e os que sofrem causam dores às suas famílias.

É comum demais os pregadores discursarem sobre o pecado no Jardim do Éden. É uma hipocrisia não proposital criticá-los, porque pecam deliberadamente contra o próprio corpo quando ignoram as regras fundamentais para terem uma vida de plena saúde: não comer aquilo que ao corpo saudável está proibido.

É fácil criticar Adão e Eva e difícil agir diferente deles.

Chega ao cúmulo do absurdo ouvir algumas orações diante de um prato entulhado de comida: “Senhor, que nenhum mal nos faça”. O que é isso!? Pelos anjos, arcanjos, querubins, José e Maria: que vexame!

Você ainda tem coragem de postar no instagram o prato repleto de morte?

Não adianta orar para Deus abençoar o que, propositalmente, colocamos no prato para maldição e não para a saúde do corpo. É pura tolice. Vai fazer mal e vai matar.

A consequência do pecado é a morte.

O pecado da gula precisa ser expurgado. É necessário haver arrependimento e mudança de comportamento, – e rápido – antes que a morte venha.

Obedecer ainda é melhor do que sacrificar.

 

QUARTA LEI: Lei da saúde

No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações” (Ap 22:2).

Não há vida sem saúde.

A falta de saúde é doença e toda doença pode levar à morte. A maneira dada por Deus para evitarmos a morte e termos vida no corpo é cuidar da saúde.

Quem não cuida da saúde está violando a lei de Deus. Deus se preocupa com a saúde das nações, Deus se preocupa com a nossa saúde e nós temos que nos preocupar em termos boa saúde no corpo, assim como temos com a alma e o espírito.

O zelo para com o patrimônio de Deus (o nosso corpo) é derivado da consciência da nossa responsabilidade com a saúde. Assim como Deus deliberadamente providenciará o meio para prover a saúde das nações, cabe-nos providenciarmos os meios pelos quais preservaremos a nossa saúde. A falta desse cumprimento é crime contra o patrimônio e a lei de Deus.

Ir aos médicos preventivamente é atitude de sabedoria e obediência.

Fazer exames, cumprir instruções médicas, evitar o sedentarismo, cuidar da alimentação, manter o corpo saudável são sinais de obediência a Deus. O que passa disso é maligno.

 

QUINTA LEI: Lei do exemplo

Ordena e ensina estas coisas. Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” (1 Tm 4:11,12 – 16).

Que lei interessante e eficiente. O povo sempre precisou e precisará de uma referência, eles sempre buscam um exemplo.

Todo o líder é um exemplo bom ou mal.

O líder imprime um padrão. O líder se torna um padrão porque é ouvido, é visto e é copiado. Por isso, uma igreja cujo líder é obeso, veremos muitos obesos. Se o líder é mal arrumado, as pessoas também serão. Se ele for mal educado o povo também o será. É o padrão impresso nos liderados.

Que tipo de padrão você está imprimindo nas pessoas?

Que tipo de exemplo você está sendo para os seus filhos, para a sua esposa e amigos?

Quando eles olham para você, o que estão vendo?

Ficou com vergonha? Isso é bom sinal.

Ficou enraivecido? Hum…

A verdade mexe com os nossos brios, mas a raiva mal canalizada não traz bons resultados.

Canalize a raiva para mudar os seus maus hábitos alimentares e disciplinares. Não fique com raiva de mim, use as suas energias para mudar o que precisa ser mudado em você. Estou apenas sendo um canal de Deus para repreender a morte que está querendo tomar conta do seu corpo.

Quando você sobe na plataforma ou anda no meio do povo, se assenta num restaurante ou passeia no shopping, quando viaja a lazer com a família, você está sendo observado por alguém. Sempre haverá alguém analisando o padrão que imprimimos no nosso modo de viver.

A Palavra de Deus na nossa boca precisa ser a Verdade, e essa Verdade está impressa no nosso corpo, queiramos ou não.

Nós fomos chamados para sermos exemplo, para imprimirmos um padrão nos fiéis e não podemos fugir dessa responsabilidade.

A Palavra que pregamos tem que ser integral. Fazer seleção do que nos convém pregar não provém de Deus. O cuidado do corpo tem que ser parte da nossa mensagem, mesmo a gente estando fora de forma, afinal, quando pregamos, o fazemos também para nós mesmos.

O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5:23).

Anúncios

11 thoughts on “CRENTE NÃO BEBE, NÃO FUMA, MAS…

  1. Como não ser viciado em comida com o tanto de glutamato monossódico que está em todos os alimentos que consumimos? O que vamos comer, que não seja processado quimicamente pela indústria? Ou o que dizer dos hormônios e agrotóxicos das carnes e vegetais? Como abster se? De que abster se?
    E como escapar das contradições da própria ciência,que, uma hora diz uma coisa depois diz outra?

    1. Tudo isso pode ser minimizado. Uma carne vermelha não processada, que faz mal a saúde, faz muito menos do que a mesma carde processada no formato calabresa, por exemplo. Quanto menos processos e quanto mais natural, melhor. Não é porque é difícil escapar que vou deixar de fazer escolhas bem menos nocivas. Se um alimento natural tem agrotóxicos, os processados vão ter os mesmos agrotóxicos e muitas outras substancias nocivas.

  2. O pecado da gula é o mais difícil de ser vencido porque, para um alcoólatra vencer o vício ele faz abstinência ficando longe de bares e situações nas quais ele possa ser tentado. Do mesmo modo o drogado e aquele que é tentado sexualmente. Mas como abster se de comer se o alimento é indispensável à conservação da vida? E como escapar do vício da comida se TODOS os alimentos que consumimos contém aditivos químicos que alteram o sabor e viciam o corpo? Como ficar livre desse tripé que vicia como cocaína ou outra droga: Sal, açúcar e gordura? As indústrias alimentícias fabricam em laboratório sabores, texturas e até o ruído que o alimento faz na boca envia mensagem ao cérebro induzindo a ingestão de mais alimento, sem que o indivíduo se dê conta disso. É muito fácil apontar o dedo e julgar, o difícil é ter compaixão.

    1. Tudo isso pode ser minimizado. Uma carne vermelha não processada, que faz mal a saúde, faz muito menos do que a mesma carde processada no formato calabresa, por exemplo. Quanto menos processos e quanto mais natural, melhor. Não é porque é difícil escapar que vou deixar de fazer escolhas bem menos nocivas. Se um alimento natural tem agrotóxicos, os processados vão ter os mesmos agrotóxicos e muitas outras substancias nocivas.

  3. Sinceramente no começo da leitura comecei a me irritar….o “tom” das palavras me pareceu um tanto duras…mas continuei a ler, pois precisava mesmo dessa dureza …Sou missionária no Uruguay e observo que há muitos obesos por aqui…inclusive eu, que hoje descobri que estou com exatos 100kg. Deus tem me colocado no coração o desejo de reunir irmãos da igreja para uma caminhada pela manhã, num parque próximo e foi buscando uma Palavra para meu próprio estímulo (detesto caminhar)) e também aos irmãos como foi que cheguei a esse texto. Muito obrigada!!! E agora, vou pra caminhada. Deus o abençoe.

  4. TUDO O QUE FOI DITO É MUITO VÁLIDO E PERTINENTE.PORÉM,FALTOU O PONTO PRINCIPAL ,O CAMINHO EFICAZ PAR LIBERTAÇÃO.SOU EVANGÉLICA HÁ 13 ANOS,BATIZADA NAS ÁGUAS E NO ESPIRITO SANTO .E HÁ 3 ANOS ME ENCONTRO VICIADA EM COMIDA.JÁ FIZ CAMPANHA,DIVERSOS JEJUNS ,RECEBI ORAÇÃO ,LI LIVROS E HOJE ME ENCONTRO FRUSTRADA COM MINHA CONDIÇÃO.ENCONTREI ESTE BLOG NA MADRUGA E SE O SENHOR PUDER ME AJUDE .POIS,JÁ ESTOU COM MINHA FÉ ABALDA ,DEVIDO A ESTA REDE DE PECADO EM QUE ME ENCONTRO

    1. Oi Joice,
      De fato é uma luta intensa se libertar, mas você possui o principal, o querer, e a Palavra diz que “Deus opera tanto no querer, quanto no efetuar”.
      Acrescente a isso a ajuda profissional, procure um médico dessa área.
      Posso também acrescentar que a compulsão por comida “pode ser” um escape não intencional de um problema não resolvido. Procure analisar isso. Continue acreditando. Abraços.

  5. Pastor, ta aí uma verdade que vejo e pague um preço por isso, hoje pela graça de Deus estou bem, mas conheço alguns irmãos que estão quase regurgitando a comida e continuam comendo como se a comida fosse acabar…..

  6. palavras sabias sim muito triste ser a outra estou no programa de obesidade mórbida para ser eu e não a outra elevando os filho reeducar alimentação .pr o senhor é uma bença na minha vida

  7. Muito boa essa matéria. Realmente a gula é um pecado mortal, pois nós nos alimentamos de maneira indevidamente, trazendo sérios prejuízos para nós mesmos, maltratando os nossos corpos que é o templo do Espírito Santo, e ainda achamos que estamos fazendo o certo. Não deixa de ser um alerta, Não sou de comer muito, mas a partir de hoje vou cuidar melhor da minha alimentação. Esses estudos tem sido bençãos na minha vida, pois cada vez aprendo mais um pouquinho das coisas de Deus. Graça e Paz Pr. Josué.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s