CRIME DE PENSAMENTO E OPINIÃO

Crime de opiniãoOra, ora… Se eu estivesse em Cuba não estranharia ser preso por escrever o que eu penso, mas estou no Brasil, numa democracia consolidada e, por aqui, estamos salvaguardados pela Constituição que nos assegura a liberdade de opinião, quer gostem ou não.

O cômico, pra não dizer trágico, é que o país está sendo governado por um partido recheado de pessoas que apregoam a liberdade, principalmente porque muitos deles sofreram nas garras da ditadura, foram refugiados políticos por fugirem de um sistema que os perseguia, simplesmente por terem opiniões que divergiam do sistema ditatorial.

Depois de tantas lutas e conquistas, beira ao insuportável ter que aturar vários patifes fazendo exatamente aquilo que tanto repudiavam.

Essa corja de ordinários vai contra o que eram os seus ideais, traindo a própria consciência e experiência, esfacelando a democracia pela qual dizem ter lutado, rasgando a bandeira das suas histórias.

É exatamente nesse recôndito de ex-refugiados que se formaram os ditadores oriundos dos calabouços da ditadura, fazendo brotar as filosofias chulas de um sistema podre e opressor que ora, sorrateiramente, tenta nos enfiar goela abaixo.

Esses sujeitos encarnaram o espírito dos “açougueiros” que os atormentavam, torturavam e que os baniram da sua pátria. Os que outrora foram perseguidos viraram perseguidores. Um trauma? Lógico que não, é simplesmente a “síndrome do poder”.

Vimos que os mentores do governo tentam ingerir e cercear a liberdade de imprensa. Em nome desta “democracia tirana”, querem monitorar, controlar e criminalizar a opinião.

Eles introduziram no sistema um esdrúxulo espírito opressor, instalado nas secretarias e órgãos do Governo, nos movimentos políticos independentes, recriando um novo “clero” (empanturrado de dinheiro corrupto que supre os cofres dos miseráveis que venderam as suas bandeiras).

Os movimentos estudantis foram comprados por “rios” de dinheiro. E, se esses crápulas que engodam os estúpidos vomitarem, jorrará milionárias golfadas de grana suja.

Os “caras-pintadas” se transformaram em “fantoches do poder”, medíocres e subservientes.

A quadrilha do poder condenada pelo STF criou um staff poderosíssimo, se apropriaram de somas incalculáveis de dinheiro surrupiado, com achaques dos corruptores e conchavos em todas as esferas operacionais do governo. Esses bandidos se especializaram em “meter a mão” na grana e em praticar, com incrível habilidade, a arte de gatunar. Tudo isso em nome de um sistema político que se beneficia da magia do encantamento, que hipnotizou o povo incauto, deixando-o num estado letárgico bestial.

O povo aculturado, tanto pelas novelas globais, como o pelo BBBostas – que tem no comando um filósofo chulo que chama gente a toa de heróis – envolveu o líder maior desse sistema vampiresco numa cápsula inviolável, onde as maiores e mais cretinas aberrações da criminalidade não maculam a sua imagem. Isso é coisa de gênio do mal, mas gênio, que domina um povo que dá provas de ser tupiniquim.

Não é qualquer um que tem a competência de constituir uma república de “ratos” criminosos, “nunca antes vista na história desse país”.

Eles têm uma virtude: não abandonam os seus “ratos”, mesmo quando são desmascarados, condenados, expostos publicamente, registrados em seus currículos adjetivos como corruptos, formadores de quadrilha, responsáveis por desvios de verbas, crimes financeiros, e por aí vai.

A cúpula dos “vampiros” continua alimentando as suas boas vidas de crime, mascarados nos recônditos palacianos, e os premiam por suas atuações criminosas em favor do partido, – que de trabalhador não tem nada – com honrarias na mais importante comissão federal, a de Constituição e Justiça. Sim, eles sabem tudo sobre direitos constitucionais e de justiça. É de arrancar os cabelos!

Nós recebemos um diploma de desonra, que afinal merecemos, pela nossa omissão, covardia e indisposição em repudiarmos tais atos.

Para manter o sistema socialista/ditatorial, tornou-se necessário criminalizar a opinião… Para ser mais claro: lacrar a boca de quem pensa e emudecer os veículos de comunicação para que não critiquem quem os alimenta.

Um povo mal informado é fácil de ser manipulado.

Eles passaram então a tentar intimidar os não “enfeitiçados” pelo som da flauta do encantador de “ratos”. Orquestraram insinuações, gritarias e mobilizando os alienados e os debiloides, gente que se presta a ser massa de manobra.

Surgem então as manifestações de minorias que ridicularizam os princípios da família e da gestação de nascituros, debochando do certo e exaltando o errado, com o fim de esvaziar a opinião e fazerem de nós marionetes das suas teorias materialistas, humanistas, ateístas, anticristãs e antidemocratas.

Esse processo de orquestrar a agenda da mídia foi facilmente implantado, porque os veículos de comunicação independentes dependem da grana publicitária do governo e da boa vontade do “clero palaciano” em negociar suas dívidas e concessões, ou seja: concessões as concessões que viram uma orgia de concessões.

Compraram a agenda da mídia. Emudeceram os comentaristas críticos dos telejornais. Tiraram de pauta assuntos graves e fizeram estardalhaços de assuntos chulos.

Quando fazemos concessões às nossas opiniões, abrimos mão da nossa liberdade.

Este sistema democrático-ditatorial armou um esquema nos bastidores para repudiar a blogueira cubana Yoni Sanchez, que viaja o mundo denunciando a ditadura de Cuba e pedindo liberdade para o seu povo. Os tais “democratas” a vaiaram, perseguiram, berraram e repetiram: “Fora! Fora! Fora!”. Essa posição política é compreensível para os militantes radicais do protecionismo ditatorial.

Aqueles que dizem que lutam, defendem e gritam por liberdade, agrediram quem sofreu com a ausência dela e viveu subjugado por um regime opressor. No entanto, os militantes desse partido “democrata”, abraçam, beijam, exaltam e idolatram o ditador Fidel Castro. Isso é mais que hipocrisia, é canalhice autêntica.

O governo “democrático” brasileiro andava de braços dados e aos beijos com o abominável ex-camarada (não há bom adjetivo pra um ditador, mesmo morto) Hugo Chávez. Sem falar que se omitiu de censurar o ditador da Síria Bashar Al-Assad pelo massacre de mais de 80 mil pessoas numa guerra civil sangrenta, absurda e insana, porque um indivíduo resolveu fazer de um país inteiro o quintal da sua casa e, do seu povo, mordomos da sua petulância. Os democratas brasileiros se calaram. Eles não falam mal de ditadores.

Observem o tipo de gestão que interessa ao Rui Falcão, José Dirceu, Genuíno, João Paulo, e os demais “40 do bando” e, lógico, ao cacique mor, que pra complementar a linha de ação fantasiada de socialista-democrata, se alinha com o presidente ditador do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, o mesmo que foi recebido com honras no nosso Brasil varonil.

Esses “aiatolás” ou governistas brasileiros, como você preferir, se opõem a qualquer tipo de manifestação de apoio a Israel, visto que somos um país predominantemente cristão, mas fazem ao contrário, apoiam os palestinos indiscriminadamente. É muita incoerência para ser apenas preferência política ou conquista de mercado externo, isso é princípio político, identidade opressora.

Que espécie é essa de democratas que nutre alianças, preferencialmente, com ditadores?

Eles se articulam nos bastidores movimentando a rica máquina do governo para aprovarem leis dúbias. Nas entrelinhas, consolidam o conceito ditatorial, visto que criminalizam toda espécie de opinião e movimento organizado que venha pesar contra os seus interesses, como é o caso dos evangélicos.

Somos um perigo pra eles, porque podemos decidir uma eleição presidencial.

Se alguém falar algo contra os seus interesses é taxado de progressista, racista, homofóbico, direitista, fundamentalista, e etc. Lógico que não fazem isso de forma direta, eles usam os seus “paus-mandados”, e os movimentos organizados a serviço dos soberanos.

Porque será que eles – somente eles – são de esquerda (meia-esquerda, ou será centro-direita)? Sei lá onde se “joga” neste esquema de policiamento do pensamento e da opinião.

A verdade é que esperteza não lhes falta, assim como a canalhice, talentos dos quais demonstram abundância inesgotável.

Eles usam os movimentos sociais achando que todos nós somos abestalhados. Usam os sem-terra, sem-teto, sem-sexo, sem-rua, sem-água, sem-esgoto (porque os “SEM” é que não falta no Brasil), e não posso excluir desse pacote os “bolsistas”, meu Deus, haja bolsa nesse país, e fazem disso uma cortina de fumaça que inebria o povo, como os apicultores fazem com as abelhas.

Por detrás desses movimentos seguem-se os patrocínios que empanturram de grana os “bois de piranhas” (conhecem essa expressão?!), que aplacam a fome de justiça quando estoura os escândalos. Eles funcionam como kamikazes que respondem aos processos criminais, oferecendo suas imagens como sacrifício vivo ao partido, que banca as mordomias dos senhores feudais que passam por bons políticos nas Câmaras, no Congresso Nacional, nos Palácios e nos horários gratuitos eleitorais, onde declaram que sem eles não podemos viver.

Esse sistema tem tudo para se perpetuar no poder, transformando o Brasil numa Venezuela da vida, enquanto o nosso povo se perpetua na ignorância, vibrando com a copa das confederações, copa do mundo, o carnaval, e as inigualáveis novelas globais.

O povo, manipulado pelos esquemas dos bastidores, não vê que os seus filhos serão adotados pelo Estado, discipulado por movimentos homossexuais, educados pela nova ordem estabelecida pela cúpula infernal: a desconstrução da família e a implantação de uma estrutura familiar sem gênero, ou seja, a figura de pai e mãe, do macho e da fêmea.

Eles estão investindo para retirar da história do nosso país, os princípios da construção familiar, a extinção de todo símbolo religioso e as datas que lembram os vínculos familiares. Para tanto, existe a senadora Marta Suplicy e seus adeptos. Uau! Eles se armaram legal.

Com o nosso voto demos uma geladeira repleta de queijo para os ratos. É simples assim.

Ninguém diz nada. A mídia não fala nada. Não há protestos nem gritarias de gente que ama a família, a decência, a ordem, e a democracia. Por quê? Porque o povo “abestado” é massa de manobra dos espertalhões.

Os piores bandidos não são os que estão fazendo barbáries na rua, mas aqueles que estão acomodados confortavelmente e com os seus bolsos solidificados e fortalecidos pelo dinheiro espúrio, que lhes confere poder de manipular e criminalizar opiniões.

E ainda há gente, do nosso meio, que nos agride quando denunciamos todas essas barbáries.

Pois é, a coisa tá feia e vai piorar!

Anúncios

2 thoughts on “CRIME DE PENSAMENTO E OPINIÃO

  1. É meu pastor… O negocio ta pegando. Por isso sinto o desafio de ler mais, minha geração precisa se preparar para enfrentar o que esta por vir aí, pois os trevudos filhos do cão nao estão de brincadeira! So a graça de Deus unida a nossa vontade de sair da ignorância e conforto para partir Pra briga.

  2. Josué, a exposição de um sentimento diante da realidade mascarada pela opressão da ditadura manipulada e manqueada por aqueles que na realidade querem é dar o troco aos antigos opressores e se voltaram contra suas próprias opiniões demonstrando que na realidade não eram tão inocentes sem generalizar para todos mas, em específico o mau caratismo com capa de anjo de “líderes” que aprenderam a mudar a face como camaleões e agir como cobras contra o povo fingindo se importar com a sociedade e tirando dela tudo que lhes convém, até mesmo sua essência, a família. Quando poderíamos imaginar que uma mente humana talvez com algum distúrbio emocional provocado por algum trauma ou mesmo envaidecida pelo poder possa ter perdido todos seus valores ou mesmo nunca os tenha tido! Uma mulher que se mostra ao mundo contra os princípios da família e tenta trazer SODOMA e GOMORRA como símbolo a igualdade social perfeita, se esquecendo que foi DESTRUÍDA pela mão de DEUS.
    Prezado Josué Gomes e muitos homens e mulheres de bem temente a Deus, não estaremos nesta cidade idealizada e corrompida por estes indivíduos manipuladores e perversos. Sairemos com nossas famílias como Abrão sem olhar para trás levando todos nossos irmãos como Ló pois acreditamos no DEUS VIVO que amamos e respeitamos.
    Devemos respeitar a todos mesmo que sejam diferentes mas exigimos o respeito ao indivíduo, costumes e a nossas famílias. O preconceito está na mente do indivíduo assim como pode estar o respeito. Resta saber qual o caminho a escolher!

    Otto Sobral

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s