O QUE FAZ UM INDIVÍDUO SER MAIS ANIMAL DO QUE GENTE?

   Essa é a pergunta que todos nós fazemos diante das atrocidades e aberrações que vivemos neste mundo pós-modernidade.

É mais do que uma indagação, é um questionamento: Onde foi que erramos?

É impossível chamarmos de gente algumas criaturas que saíram do ventre de mulheres sonhadoras e homens empolgados. Se pareciam com bebês normais quando nasceram e crianças saudáveis quando brincavam, mas nas fases seguintes se revelaram monstros abomináveis, até por alguns daqueles que os geraram.

O que esses monstros num corpo que parece de gente são capazes de fazer?

Isso ninguém pode responder com precisão, porque quando pensamos não haver limites para as maldades, eles nos surpreendem com uma ainda maior. Contudo, a mídia noticia todas as horas e dias consecutivos as suas façanhas nefastas. Eles são a face visível do que há no mundo das trevas, no domínio de satanás e seus demônios. Eles são uma espécie de demônios visíveis.

Se nós podemos ver anjos humanizados, também não podemos ignorar os demônios em forma de “gente”.

A grande verdade é que eles estão entre nós. Podem nos atacar de surpresa, pois se apropriaram do poder da morte e da vida. Não podemos prever se chegaremos ao nosso ambiente de trabalho, a igreja, na casa de um parente ou amigo ou se retornaremos ao aconchego da nossa família depois de um dia árduo de trabalho.

Do ponto de partida, aonde projetamos ir a morte pode nos abocanhar.

Eles agem sem piedade, não medem consequências, não se importam com a própria existência, portanto a vida dos outros não têm qualquer valor. A finalidade é simples, pegar na “marra” o que querem e fazem questão de matar, roubar e destruir, é assim que mostram que somos os seus mantenedores, somos o suor e o sangue que sustenta essa corja de animais.

Esses animais com roupagens de gente não subsistem sozinhos, eles necessitam da omissão de alguém, da conivência dos covardes, da associação dos seus idênticos, dos defensores dos direitos dos animais que estão soltas na selva de pedra, da proteção de gente que não se importa com as outras gentes.

É lamentável, mas é assim que funciona. Na maioria das vezes, os úteros que os pariram, os gestores que não souberam impor limites para gerirem aquelas criaturas enquanto podiam, agora, para apagarem os erros e minimizarem a cobrança das suas consciências, e a falta de autoridade que tiveram, protegem os monstros, os alimentam, sustentam as suas vagabundagens, lhes dão abrigos, esconderijos para manietarem os males, os fortalecem para os próximos ataques aonde irão com diabólico prazer e êxtase, abater implacavelmente as suas vítimas indefesas. Malditos animais!

Lógico que há muitas exceções. Lógico que também há uma maioria esmagadora de omissões.

Aquele que gerou um monstro, mas permanece gente, tem o dever se esforçar para desarticular o mal que ajudou a criar.

A questão principal do indivíduo se tornar mais animal do que gente vai muito além da marginalidade ou criminalidade, mas da sua total alienação e abstenção da origem e do propósito da sua criação e da desvinculação Daquele que o criou.

A fonte do nosso SER vem daquele que nos fez existir.

Qualquer indivíduo que busca o autoconhecimento precisa olhar para trás, pesquisar a sua genealogia, a origem do seu próprio eu. A fonte do qual jorrou a sua existência.

Quando a criatura se esquece do seu Criador ele perde o elo com a sua própria criação. Torna-se alguém sem princípio ou razão de existir, pois o propósito da existência de cada um de nós está nos desígnios do Deus que nos gerou.

Quando Deus, o nosso Criador, não faz parte da nossa vida, ela fica incompleta. Por isso muita gente, por mais que trabalhe e construa, fica incomodada com algo que deixou de fazer, porque apenas em Deus nos sentimos completos.

Com esse pequeno exercício de introspecção, o Espírito Santo me conduziu até o livro de Provérbios, no número 30, versículos 1 ao 4, do qual extraí alguns aprendizados:

São estas as palavras solenes de Agur, filho de Jaque:

“Deus não está comigo,

Deus não está comigo.

Estou desamparado.

Sou mais animal do que gente;

não tenho a inteligência

que um ser humano deve ter.

Nunca aprendi a ser sábio

e não conheço o Deus Santo.

Quem já sabe tudo a respeito do céu?

Quem já pegou o vento com as mãos?

Quem já embrulhou água num pano?

Quem já marcou os limites da terra?

Você sabe quem é ele? E quem é o filho dele?” (Versão NTLH)

Dessa passagem eu pude extrair algumas lições das quais tenho prazer em compartilhar com você.

Não são verdades absolutas, muito menos exposições teológicas, mas um aprendizado que, se for concretizado, nos ajudará nas tomadas de decisões, nas posturas e hábitos dos quais devemos nos desfazer e no fundamento de um novo paradigma que devemos empreender.

O QUE FAZ O HOMEM SER MAIS ANIMAL DO QUE GENTE?

  1. A ausência de Deus faz o homem ser mais animal do que gente.
  2. O desamparo de Deus faz o homem ser mais animal do que gente.
  3. A ausência da inteligência espiritual faz o homem ser mais animal do que gente.
  4. Desprezar a sabedoria faz o homem ser mais animal do que gente.
  5. O desconhecimento do Deus Santo faz o homem ser mais animal do que gente.
  6. Desconhecer tudo a respeito do céu e a eternidade faz o homem ser mais animal do que gente.
  7. Desconsiderar como inexistente aquilo que não se vê e o que não se pode pegar, como o vento, faz o homem ser mais animal do que gente.
  8. Ignorar a essência de que Deus usa até o natural, como a água, pra revelar o sobrenatural, faz o homem ser mais animal do que gente.
  9. Impor limites a aquilo que Deus não limitou, como os limites da terra e a sua Igreja, faz o homem ser mais animal do que gente.
  10. Ignorar a existência de Deus faz o homem ser mais animal do que gente.
  11. Recusar-se a receber e aceitar o Filho de Deus, Jesus Cristo, faz o homem ser mais animal do que gente.

Nós nascemos animais e nos tornamos racionais. Que jamais sejamos animais irracionais e, que essa possibilidade de retrocesso possa nos atemorizar e aterrorizar. Que os nossos filhos se tornem gente e que nós jamais percamos a nossa humanidade.

“Jesus Cristo foi tão espiritual que pôde se fazer humano.”

Anúncios

One thought on “O QUE FAZ UM INDIVÍDUO SER MAIS ANIMAL DO QUE GENTE?

  1. Gostei desse artigo, apesar dele ser bem extenso, mas só com muitas palavras o senhor poderia falar desse assunto tão profundamente. Só não gosto que se compare esses monstros abomináveis, com os animais, os bichinhos não merecem!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s