ATÉ QUE O SEXO OS SEPARE

João teve uma vida de solteiro que quase todos os solteiros desejam. Não tinha a vida de um cristão, por isso, a vida na farra era intensa, principalmente quando se tratava de garotas. Eram muitas garotas. Muitas noitadas. Muitas viagens e curtição.
Mas, um dia, Deus acabou com o tempo de farra e o envolveu numa obra muito desafiadora, então, João deixou-se moldar por Deus.
A farra acabou em definitivo. Casou-se e tornou-se um homem absolutamente fiel a Deus, a sua esposa e aos seus filhos.
Habituado a uma vida sexual muito ativa, João, agora casado com Maria, inexperiente, virgem e muito recatada, precisou ser paciente para ensinar a sua amada a arte do amor e do sexo.
A vida amorosa sempre foi muito saudável e a sexual bastante satisfatória, porém, muito inconstante, porque Maria se dava por satisfeita com relações sexuais de 20 em 20 dias, ao contrário de João que “subia pelas paredes”.
Independente da abstinência obrigatória, o amor por Maria crescia gradativamente, afinal, estava aprendendo a ter e ser de uma só mulher, e até que estava se saindo muito bem, salvo, a falta de regularidade sexual de Maria, e isso ia se tornando um problema maior com o passar do tempo.
A estabilidade amorosa, emocional era recompensadora, no amor, as coisas iam muito bem, mas, no sexo… cada vez mais as coisas se complicavam e as conversas com Maria de nada adiantavam.
Para João as noites eram trágicas, longas, sofridas, principalmente as de sexta e sábado. Em nada se pareciam com as aventuras que ele vivia na época de solteiro.
A vida sexual no casamento, quantitativamente, não o satisfazia e tornava a vida espiritual uma batalha intensa, e a seu ver, desnecessária, afinal, ele se casara para também fugir da prostituição, mas, Maria não enxergava isso e nem se questionava quanto ao sofrimento, as carências e as necessidades do seu marido.
Maria agia como se agradar ao seu homem fosse algo sem a menor importância, o homem que dizia tanto amar.
Os anos foram passando, diferente das noites que insistia em não passar e cada vez mais se tornavam longas. Porém, Maria dormia como um anjo, ignorando por completo o inferno vivido pelo “amor da sua vida”.
Apesar de todas as conversas francas, dos apelos, dos pedidos de que ela procurasse um médico, ignorar, desprezar o apelo do marido foi a escolha feita por Maria, afinal, ela sabia que o seu homem, era também um homem de Deus, que a fidelidade que o aliançava a Deus era a mesma que a tranqüilizava.
Maria sabia que o seu marido jamais a trairia, jamais pecaria, jamais ofenderia o Espírito Santo, por isso, acreditava que mesmo sofrendo como macho, ele teria que se submeter ao pouco que ela lhe oferecia como amante.
João sempre foi romântico, criativo, exigente, com um sabor especial para a beleza e a excelência, e no sexo não abria mão de ter e fazer o melhor. Maria porém, não transitava nesse campo. Pra ela tudo era muito simples, prático, raso, e uma transa era só uma transa e pronto. O que interessava era o orgasmo, rápido, objetivo, intenso e pronto, e o seu homem sabia lhe dar esse prazer.
A preferência de João já era diferente, ele gostava do jogo da sedução, da expectativa, de transformar uma relação sexual num palco de festa, uma verdadeira sala de banquetes, uma maravilhosa e empolgante aventura.
Mas, o tempo foi derrubando o nosso herói. Maria foi colocando a sua impressão pessoal, moldando João, podando, aparando, castrando as suas pretensas noites de aventuras românticas.
Aquele João com espírito inovador e de magia foi morrendo, pouco a pouco… a cada noite frustrada, uma após a outra…
João precisou morrer para que o seu casamento com Maria sobrevivesse.
Maria continua sendo a Maria de sempre. João já não é o mesmo.
Alguma coisa que o tornava um homem especial morreu. João, deixou de ser um homem diferenciado para ser apenas um homem, como tantos outros, sem vida, apenas burocrático, cumpridor do seu dever de macho quando Maria o requisita.
Desde os primeiros anos ele decidiu não procurar a sua mulher, sua amante, mesmo nos momentos em que necessitava ser agradado, porque as inúmeras rejeições e desculpas de Maria o fizeram desistir. Ele abriu mão de ter o poder sobre o corpo da sua amada, como lhe garante a Palavra de Deus.
João é o mesmo jovem esplêndido em seu interior, apesar dos anos que impuseram algumas marcas ao seu corpo. A diferença é que esse jovem no interior permanece encarcerado, agredido, violentado…
Talvez esteja definitivamente mortificado em nome do amor a Deus, temor a Ele e respeito a mulher com o qual fez uma inquebrável aliança, quem sabe?
Maria… Ah, sim, continua bem, a mesma, obrigado.

Anúncios

2 thoughts on “ATÉ QUE O SEXO OS SEPARE

  1. Boa tarde!
    Ao ler este artigo, eu posso dizer que me vejo EXATAMENTE igual ao João. Vou fazer três anos de casado e enfrento este problema em minha casa.
    Já conversei com ela inúmeras vezes sobre isso, inclusive dentro da bíblia, mas ela mostra claramente que não gosta de sexo. Eu gosto de fazer sem hora marcada, seja dia ou noite e esteja onde estiver, se der para acontecer, mesmo que rápido… Mas ela, só rola na hora de dormir, e olhe lá! Nós já passamos períodos que ficamos um mês sem fazer NADA. Eu procuro, tento, mas ela já chegou a dizer pra mim que não gosta, que não liga para sexo.
    É muito complicado!

  2. A paz do Senhor Jesus. É desse jeito que muitos casamentos tem sobrevivido.ha tantos homens quanto mulheres de Deus que so querem viver na biblia a parte que lhes favorece.isso é mais comum do que podemos imaginar.sabias palavras!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s