RSS

PERSEGUIDOR

Perseguidor“Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.”

Mateus 5:11,12

Quem é misericordioso encontrará misericórdia. Quem persegue, um dia será perseguido, porque a colheita é inevitável para quem semeia.

O perseguidor elabora instrumentos que se transformam em arma, para empreender o seu instinto predador, e caçar a sua presa. Para justificar o seu ato perverso, elabora um dossiê de justificativas, que jamais serão motivos justos para o seu ato espúrio.

Aquele que confia em Deus, no seu amor e perdão, sabe que toda arma cuidadosamente preparada, não prevalecerá. Deus sempre dá o escape.

Aquele que se arma para perseguir alguém, está sendo um diabo.

Deus ama um pecador arrependido e detesta um crente vingativo. Portanto, toda perseguição contra quem Deus perdoa e restaura, é uma investida contra as asas protetoras de Deus.

Aquele que toma para si a vingança, por quaisquer que tenham sido os motivos, coloca-se na função de Deus, porque Ele mesmo disse: “Minha é a vingança”. Roubar ações exclusivas de Deus, é arranjar um jeito de se matar.

É debaixo da segurança das asas de Deus que o perseguido encontra abrigo.

Todo o líder espiritual que empreende uma caça armada contra alguém, está treinando o seu povo na escola da vingança, e a próxima vítima será ele.

Todo “diabo” não sabe o que é perdão, mas é especialista na arte da perseguição. Sendo esse o sentimento que prevalece no coração, será esse o caráter que transformará um “anjo” em “diabo”. É duro olhar para o púlpito e ver um “diabo” pregando.

Sabe o que é legal? Jesus Cristo não veio para os sãos, mas para os doentes de espírito como eu. Ele me convida para junto de si, não me persegue pelos meus erros, mas me perdoa e me acalanta.

Jesus Cristo é diferente de alguns líderes sanguinários. Estes reagem ao erro agindo como “vampiros”, chupando o sangue de quem é mais fraco, esmigalha quem já está quebrado e apaga a pequena chama de esperança que ainda resta.

Prefiro mil vezes cair na mão do Deus justo, do que nas garras de falsos espirituais.

Todo aquele que persegue um pecador, ou até aquele cujo a graça de Deus, o fez prosperar e projetar o seu chamado, tem o sentimento equivocado de que encarnou o próprio Deus.

Deus não ajuda ninguém a massacrar quem Ele deseja salvar.

O perseguidor é aquele que se acha no direito de jogar a primeira pedra, pois o juízo que faz de si mesmo, é a perfeição, porém, aquele que sabe que é imperfeito, é mestre na arte de compreender as falibilidades dos outros.

O último que perseguiu aqueles que eram de Deus, caiu do cavalo, pergunta ao apóstolo Paulo se doeu…

O conhecimento que Davi tinha de Deus, não permitiu que ele tocasse naquele que era repudiado por Deus. Só Deus pode derrubar aquele que Ele levantou. Portanto, levanta a sua mão contra aqueles que pertencem a Deus, e espera pra ver o que vai te acontecer.

A sede de vingança cega o indivíduo, ele esquece as próprias fraquezas para querer fazer “justiça” com as próprias mãos, é aí que vai se dar muito mal.

Nunca li e nem vi Deus mandar perseguir alguém, mas Jesus Cristo disse que os seus seriam perseguidos.

O diabo, o grande acusador e perseguidor, arquiva os nossos pecados; mas Jesus Cristo, o grande libertador, não se recorda de nenhum deles.

 
1 Comentário

Publicado por em 17/04/2014 in Uncategorized

 

DORES DA ALMA

imagesHá pessoas sofrendo, não apenas com dores no corpo, mas na alma, uma angústia que diz: “algo está errado”.

Muita gente sofre silenciosamente, tentando manter a sanidade mental, eles sabem que lhes falta algo, mas o quê?

A luta em seu interior é incompreendida e na maioria das vezes não percebida pela família e amigos. Um olhar perdido. A tentativa de se manter lúcido. A briga travada entre a perturbação e a lucidez. Dois indivíduos habitando o mesmo corpo, e a mente tentando não se dividir, enquanto que os sentimentos vão se esfacelando.

Se os médicos da alma negarem o socorro, as vítimas do sofrimento da alma morrerão.

A dor da alma é o resultado da ausência de paz no espírito. É a presença do incomodo que não tem como ser descrito, é a falta de algo… algo… mas, o quê? A ausência de Deus faz a alma sofrer.

Há um domínio da morte quando a alma não tem sede de Deus. É o sentimento de estar morrendo aos poucos, quase que imperceptível, desidratando, se desintegrando até sucumbir.

A fome da alma não se sacia com coisas, ela se alimenta e se farta de Deus. Alimentar-se de Deus é robustecer para poder existir eternamente.

O sofrimento da alma é tão crônico quanto qualquer outra dor física, compreendê-la é difícil e levá-la a sério, mais ainda.

Por que sofremos se temos tudo? Mas, o que afinal é ter tudo, pois sofremos porque sentimos que nos falta algo?

As pessoas com dores na alma precisam da ajuda de um “anjo humanizado”, que as entenda, e as alimente com amor e companhia, e lhes mostre que há um imperceptível vazio interior, que não pode ser preenchido com coisas.

Jesus no auge da dor da alma pediu aos amigos: “Ficai comigo”. A companhia de quem se ama é um santo remédio. A presença de Deus preenche o vazio que nenhuma pessoa, por mais que a amamos, pode preencher.

Jesus foi abandonado pelos seus amigos no auge do sofrimento, por favor, nunca faça isso, os seus amigos precisam de você. Nunca dê as costas a aqueles que sofrem com as dores da alma, a sua presença é um remédio, um extraordinário poder curador.

A nossa presença, nos momentos em que os doridos da alma clamam silenciosamente, expressão vista apenas no singelo modo de olhar, é como a chegada do médico da alma, que traz consigo o remédio Santo que aliviará o sofrimento e curará as feridas.

Somos nós, os médicos da alma, que levamos aos feridos a cura proporcionada pela presença de Jesus Cristo.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 25/03/2014 in Uncategorized

 

UM SALTO PARA O FUTURO

logo_saltoPorque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.

Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.

E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.”

Jeremias 29:11-13

 

O futuro dado por Deus não é aquele que nós queremos, mas aquele que Ele sabe que é o melhor.

Saltar para o futuro é se DESLOCAR para onde Deus está, confiando apenas nas Suas instruções. Todo propósito de Deus se resume em nos fazer saltar para o futuro.

Deus está posicionado no futuro onde está o nosso sucesso, e nos motiva a chegar lá.

Deus já preparou o nosso futuro com muito zelo, e está acima da nossa capacidade de compreensão, porque para Deus, o sucesso é nos tornarmos quem Ele nos projetou pra ser.

Quando alcançamos o sucesso programado por Deus, alcançamos Deus.

O futuro não está onde nós estamos, o futuro está no lugar para onde Deus nos atrai. Deus sempre está aonde devemos chegar.

Deus não está no nosso passado, Ele está nos esperando no nosso futuro, para tanto, cuida para que no presente não saiamos do caminho.

Toda motivação que Deus enxertou em nós, é para saltarmos em direção ao futuro de glória que já está feito.

Deus sempre está à nossa frente, num tempo adiante do nosso, é o jeito do Pai de preparar o caminho dos filhos.

O tempo que de fato existe é o futuro, é nesse tempo que está localizada a “fábrica” das realizações.

Se Deus está nos esperando no nosso futuro, significa dizer que somos portadores de uma missão sobre excelente que fazem os desígnios de Deus se cumprirem.

Quando Deus mandou Abraão sair da tenda, da sua terra e do meio dos seus parentes, Ele estava dizendo: O lugar onde você está já é passado, se você permanecer nele morrerá.

Deus não habita em lugar de morte, mas onde reside a vida, e ela está no seu futuro.

Sai, sai, sai enquanto há tempo. Abraão não tinha todo o tempo do mundo, o milagre podia acontecer na velhice, mas a velhice não pode esperar o milagre. O único jeito de fugir da morte é correr para o futuro.

É no futuro que você encontra a Vida. Assim diz o Senhor: “É no futuro que você Me encontra”.

Essa é a Palavra que Deus manda te dar: “Quem me ama me busca, quem me ama me encontra no futuro”. É no futuro, onde Deus está que tudo acontece.

 
2 Comentários

Publicado por em 10/03/2014 in Uncategorized

 

DESONRA

desonraA desonra é a forma como os indivíduos malignos recompensam aqueles que lhes fizeram o bem.

Há muitos anos atrás, eu tive uma fase na vida, que por direção de Deus fui incumbido de uma missão muito árdua. Concluí essa tarefa com sucesso, mas ao invés de reconhecimento, por questões de interesses escusos, fui desonrado, mesmo com as provas cabais do êxito. Fiquei muito fulo da vida!

Me recolhi durantes meses na minha igreja e no meu gabinete. A clausura foi fundamental para que as feridas não se transformassem num “câncer” incurável. Foi ali, no meu lugar secreto que Aquele que me incumbiu de fazer a obra me recompensou.

Depois de meses de silêncio, sem ouvir nada e dizer nada sobre aquele assunto, Deus me falou que iria me honrar. A sua Palavra foi como um anestésico para a minha dor, uma cura para a minha desonra, e a libertação da minha vergonha.

Não há mais desumano e perverso do que jogarem descaradamente lama repugnante no nosso maior patrimônio, que é o nosso nome.

Depois de um tempo, as coisas boas começaram a acontecer. O milagre que só Deus pode fazer, que é limpar o nosso nome, foi acionado de maneira linda, então percebi que Deus sempre cuida daqueles a quem ama.

Sabe, Deus é excelente em fazer uma faxina naquilo que os serviçais do inferno sujam.

Deus, em sua Palavra diz assim:

Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria.”

Isaías 61:7

Então, diante do ato espúrio da desonra, Deus cria o processo de reparação de danos, e funciona assim: para a desonra, dupla honra. Quando começamos a ser honrados pelas pessoas, é a primeira honra providenciada por Deus, entrando em ação.

Imagine então, quando Deus começar a fase da segunda honra; porque é preciso uma outra honra depois da primeira, para que seja dupla.

A desonra acontece como um atentado terrorista, que explore tudo. O terrorista se orgulha em destruir com sorrisos aquilo que levamos anos para construir, e que consumiu, não apenas o nosso esforço e suor, mas muito amor e lágrimas.

O “terrorista” se alegra com a destruição e a morte, e não se importa em matar os nossos filhos e cônjuges, além das pessoas que estão próximas e nos são queridas, pra eles é apenas um efeito colateral.

Mas quando Deus começa agir trazendo a honra, Ele vai limpando os estragos, retirando os estilhaços, os entulhos, varrendo e catando os cacos, pra jogar tudo na lixeira do esquecimento. Deus tira de vista aquilo que um dia foi ruína, para ser apenas parte de uma história no teatro da nossa vida.

Leva algum tempo tirar de cena a lambança causada pela explosão que danificou o nosso orgulho, dignidade e valores que esposamos. Não é num estalar de dedos que os traumas na memória e na honra são curados em definitivo, mas tempo onde o consolo do Espírito Santo faz findar o período de hibernação, quando o sentimento de injustiça é substituído por aquele novo que Deus plantou em nossa alma, fazendo-nos sentir frutíferos e realizados.

A honra trazida por Deus envolve consolo, amor, força e construção solidária.

O seu amor convoca pessoas íntegras para se doarem e fazerem parte do mutirão restaurador de nossas vidas, e de onde não esperamos, surgem pessoas, anjos humanizados, que se agregam para serem solidárias a aquilo que Deus decidiu reconstruir.

E eu aprendo, que a reconstrução daquilo que foi delapidado pelos terroristas, servos da malignidade, nunca se dá nos mesmo moldes, pois o que Deus decidiu reconstruir é mais sólido, moderno e muito mais belo que o anterior.

A maior derrota desses “terroristas” é ver que aquilo que eles tentaram aniquilar, foi reconstruído pelo amor e pela misericórdia de Deus, para ser infinitamente melhor do que antes.

 
4 Comentários

Publicado por em 25/02/2014 in Uncategorized

 

A GUERRA DOS RELIGIOSOS EVANGÉLICOS

De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?”

Tiago 1:1.

 mao_sangue

Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina:

Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,

O coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal,

A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.”

Provérbios – 6:16-19

Toda guerra é insana, abominável e detestável, elas causam destruição na dignidade humana, são fábricas de dores.

A guerra religiosa, mesmo em nome dos bons costumes e de coisas que os indivíduos acham correto, é pior do que a guerra armada.

A guerra entre “irmãos” é a mais abominável de todas.

O líder que não é capaz de manter os seus liderados, livres do sentimento maligno de guerra, que impregna suas alma, é incompetente.

O líder sob o domínio do Espírito Santo, tem o poder de mandar o povo cessar fogo.

O líder sob a influência do diabo, fomenta e incentiva, com as suas infelizes ações e argumentações, a guerra religiosa.

Grupos religiosos, evangélicos, que disputam e guerreiam entre si, mesmo em nome da verdade, jazem na malignidade.

Qualquer um que suscita peleja entre irmãos, tem sobre a sua vida a abominação de Deus.

Toda guerra é diabólica.

Ninguém tem o poder de dizer, quem é e quem não é de Deus.

Quem se acha no direito de tocar na autoridade e na unção daquele que julga não ser de Deus, está em guerra com Deus.

Quando a desgraça e a dor chegar em sua vida, lembre-se daquele, que você achava que não era de Deus, e ousou tocar, porque a guerra deixa sequelas.

Você pode até não gostar de um homem de Deus, direito seu, mas se tocar nele, o direito passa a ser de Deus, de guerrear contra você.

Aquele que Deus um dia ungiu, somente Deus pode tocar, goste você ou não, se insistir, prepare-se: você estará lutando contra Deus.

 
1 Comentário

Publicado por em 20/02/2014 in Uncategorized

 

COMO SUPERAR AS DECEPÇÕES NO CASAMENTO

Como superar a decepcao no casamentoO foco satânico para desconectar o homem de uma vida segundos os intentos de Deus, está centrada em três vias de ataques e com ações distintas: roubar, matar, e destruir. O ataque é direcionado ao casal, coluna da família, porque sendo este eficiente, toda a estrutura familiar desmorona, afetando a vida pessoal (que se reflete no corpo, na alma e no espírito), a vida conjugal, a vida familiar, a igreja e a sociedade:

Primeira via de ataques e ações:

Roubar das pessoas que se amam a capacidade de comunicação eficiente inibindo a possibilidade de se tornarem pessoas melhores e de se ajudarem mutuamente para que atinjam esse propósito de crescimento.

Segunda via de ataques e ações:

Matar as perspectivas de um futuro melhor que viabilizam os acertos e os ajustes que criam interatividade entre o casal, para que cada um esteja bem consigo mesmo para poder conviver harmoniosamente com a pessoa amada.

Terceira via de ataques e ações:

Destruir tudo o que se construiu baseado nas ações nobres que expressavam a intensidade do amor conjugal. Na maioria das vezes, sequer foi dado chances ao casal de tornarem belo aquilo que nasceu para resplandecer.

A dureza de coração, aproveitada habilmente pelo nosso inimigo comum, é a causa da maioria dos problemas que atormentam os relacionamentos conjugais:

Vieram a ele alguns fariseus e o experimentavam, perguntando: É lícito ao marido repudiar a sua mulher por qualquer motivo?

Então, respondeu ele: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.

Replicaram-lhe: Por que mandou, então, Moisés dar carta de divórcio e repudiar?

Respondeu-lhes Jesus: Por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossa mulher; entretanto, não foi assim desde o princípio” – Mateus 19:3.

A deslealdade tem sido outra causa dos terríveis males que assolam os casais. São desleais quando esquecem de cumprir as promessas feitas sob o manto do amor, e os votos formalizados no altar, diante de Deus, da família, dos amigos e da igreja. A falta de dignidade, honestidade, franqueza, sinceridade e fidelidade arrastam o casamento para os patamares do insuportável. Deus abomina tal ação:

O SENHOR eliminará das tendas de Jacó o homem que fizer tal, seja quem for, e o que apresenta ofertas ao SENHOR dos Exércitos. Ainda fazeis isto: cobris o altar do SENHOR de lágrimas, de choro e de gemidos, de sorte que ele já não olha para a oferta, nem a aceita com prazer da vossa mão. E perguntais: Por quê? Porque o SENHOR foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança” – Ml 2:12,14.

Com o passar do tempo muitos casais se mostram decepcionados com o casamento, e questionam se ainda existe a possibilidade de continuarem a amar os seus parceiros. Não respeitaram os mais ferozes inimigos dos relacionamentos conjugais: as obrigações e a rotina.

As obrigações financeiras, Os desgastes na área profissional, Os cuidados com a manutenção da casa, A educação dos filhos, A atividade excessiva de um e a comodidade do outro, ou a atividade excessiva de ambos, A convivência rotineira que constrói uma amizade colorida, ou seja, “amigos que transam vez por outra”.

A rotina gera a monotonia e ela pode se estabelecer nos primeiros anos do casamento, deixando adormecido o “vulcão” do desejo sexual:

“…as suas brasas são brasas de fogo, labaredas do SENHOR. As muitas águas não poderiam apagar esse amor nem os rios afogá-lo” – Ct 8:6,7.

Pequenos distúrbios se transformam em grandes problemas por causa da monotonia e da acomodação, o que poderia ser evitado com reciclagens. Não se pode aceitar passivamente esse jogo que corrói o relacionamento e consome vagarosamente e efetivamente o amor, trazendo destruição. A mudança das circunstâncias desfavoráveis se reverte através do diálogo e de ações deliberadas:

O diálogo franco é a porta para a solução de questões simples e complexas;

O casal deve agendar um compromisso mensal, seja um almoço ou jantar, onde as insatisfações devem ser discutidas de forma franca e madura;

Essa é uma oportunidade para mudanças de comportamentos;

Esse momento pode propiciar a ambos conhecer as insatisfações, bem como os anseios dos parceiros. Não vale fingir que se é feliz, e que não existem insatisfações ou desejos que você gostaria de realizar;

Mudanças de rotas e implementações de planos podem ser combinados nesse encontro;

Não pode haver melindres de ambas as partes.

O casamento em si não resolve o problema de ninguém. O casamento não faz nada por ninguém, o casal é que pode fazer muito pelo casamento.

Os casais que desejam ser felizes:

Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias” – Pv 5:18,19.

Não ficam em cima do muro do casamento;

Sabem o que querem e lutam pelo que desejam conquistar;

Querem aprender tudo sobre relacionamento amoroso e permanente;

Esforçam-se deliberadamente por aquilo que consideram importante para a sua felicidade;

Compartilham sentimentos;

Respeitam, incentivam e dão suporte aos sonhos dos parceiros;

Consideram importante a proximidade: o andar de mãos dadas, o beijo antes de dormir, o dormir encaixadinho, a conversa ao celular, o compartilhar dos fatos do dia e as preocupações com as questões da vida, o cochicho que gera a curiosidade dos filhos;

Quebram a muralha da inibição;

Não constroem defesas psicológicas;

Tem uma comunicação respeitosa, porém, franca e honesta;

Desenvolvem uma harmonia espiritual;

Constroem valores similares;

Consideram indispensável a confiança mútua e permanente;

Não permitem jamais um clima de insegurança;

Não abrem mão da descontração e da informalidades quando estão juntos;

Sinalizam freqüentemente e livremente o amor que sentem um pelo outro;

São responsáveis uns pelo outros e deixam claro o cuidado mútuo.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 07/02/2014 in Uncategorized

 

O FUTURO SE VÊ DO ALTO

coragem-3

E disse-lhe o SENHOR: Esta é a terra que jurei a Abraão, Isaque, e Jacó, dizendo: Å tua descendência a darei; eu te faço vê-la com os teus olhos, porém lá não passarás. Assim morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe, conforme a palavra do SENHOR.” 

Deuteronômio 34:4,5

Suba o monte, o lugar mais alto, de onde você pode ter a melhor visão daquilo que é a sua conquista.

Olhe a terra – aquilo que você quer conquistar – é sempre uma oportunidade de renovar as suas forças.

Há duas perspectivas de quem vê do alto:

1)    Vê o que perdeu;

2)    Lutar por aquilo que deseja ganhar, independente do preço a ser pago.

Olhe o futuro longínquo, mesmo estando distante, ele se tornará algo concreto e presente.

Quando olhamos, entendemos mais nitidamente aquilo de que tanto falamos.

O nosso olhar vê o que ninguém vê, e de onde estamos, trazemos o embrião desse futuro para plantarmos no nosso agora.

Deus sempre constrói com parceria, foi assim desde o começo: façamos. O nosso futuro, Deus constrói com a nossa parceria.

Deus fez uma parceria com Moisés. A parceria é uma ferramenta com a qual construímos o futuro.

Os parceiros que não tem a mesma visão garantem o fracasso do futuro.

Mesmo que o futuro fracasse para nós, por falta de confiança na parceria, o projeto de Deus prossegue, e é construído com outros parceiros que firmam uma aliança com Deus.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 24/01/2014 in Uncategorized

 
 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 28 outros seguidores